Amar até o fim.
João 13:1. “Amou-os até ao fim”.
O amor é o maior de todos os temas. Nenhum assunto ganha mais ênfase do que o amor.
Os poetas, usando diversas palavras diferentes, debruçam-se sobre o amor.
Deus escreve uma história para o Universo inteiro, baseada no amor.
Você e eu somos frutos do amor.
Quando Jesus diz: “Um novo mandamento vos dou: que vos ameis uns aos outros; assim como eu vos amei, que também vos ameis uns aos outros”, João 13:34. Ou “O meu mandamento é este: que vos ameis uns aos outros, assim como eu vos amei”, João 15:12.
Jesus está dando um novo mandamento, isto é: com uma novidade.
Mas, que novidade é essa se no A. T. o Senhor já havia orientado sobre o amor de uns para com os outros?
É simples entender quando confiamos na Palavra de Deus.
Levítico 19:18, “Amarás o teu próximo como a ti mesmo”.
O objeto do mandamento é o mesmo: O amor. Mas a aplicação do objeto é diferente. A medida do amor.
E qual é a medida desse amor?
No A. T. Ao próximo como a ti mesmo. No N. T. Assim como eu vos amei. Como Jesus amou? Até ao fim.
Amar ao próximo como a nós mesmos, não é tão difícil quanto amar como Jesus amou, ou ama.
Há pessoas que não se amam. Não tem amor próprio. Como amariam aos outros?
Jesus nos amou até o fim, devemos amar até o fim também.
Como Jesus demonstrou de maneira prática que amou até o fim?
Com os discípulos: Se tornou servo lavando os pés dos discípulos. João 13:4-5.
Com Judas: Um último apelo na hora da ceia. João 13:26.
Com Pedro. Amou sem ser correspondido. João 18.
Com a Mãe. Mulher, eis aí teu filho. João 19:26.
Com João. Filho, eis aí tua mãe. João 19:27.
Mesmo depois da ressurreição não se esqueceu dos Seus: Enquanto subia mandou 2 anjos para confortar Seus discípulos com a promessa da segunda vinda, Atos 1:10-11.
Eu não estaria exagerando se dissesse que amar como Jesus, significa amar até ao fim sem desistir. Mesmo que a pessoa erre uma, duas, três ou 70 x 7 vezes. Continuar amando com a mesma intensidade. Se fizéssemos isso, não haveria nenhum tipo de desgraça. O amor cobriria uma multidão de pecados.
Os últimos momentos da vida terrena de Jesus foram aproveitados ao máximo.
Há muitas coisas que eu não entendo.
Existem 2 mistérios sobrenaturais que são difíceis de serem compreendidos.
O primeiro desses mistérios é o pecado.
2 Tessalonicenses 2:7. Mistério da iniquidade.
O mistério da iniquidade, tem a ver com a entrada do pecado. Como o pecado começou? Um ser santo, num lugar santo, na presença de um Deus que é santo, santo, santo.
O joio que o semeador não semeou. Anjos do mal. “Um inimigo fez isso”. Mateus 13:28.
“O pecado é um intruso, por cuja presença nenhuma razão se pode dar. É misterioso, inexplicável; desculpá-lo corresponde a defendê-lo. Se para ele se pudesse encontrar desculpa, ou mostrar-se causa para a sua existência, deixaria de ser pecado. Nossa única definição de pecado é a que é dada na Palavra de Deus; é: “quebrantamento da lei”; é o efeito de um princípio em conflito com a grande lei do amor, que é o fundamento do governo divino”. O Grande Conflito, 493.
O outro mistério trata da salvação.
1 Timóteo 3:16. O mistério da piedade.
O amor de Deus, que se manifesta no plano da redenção, é uma dessas coisas difíceis de entender, e provavelmente a principal.
“A ciência da redenção é a ciência de todas as ciências; a ciência que constitui o estudo dos anjos e de todos os seres dos mundos não caídos; a ciência que ocupa a atenção de nosso Senhor e Salvador; ciência que se acha incluída no propósito originado na mente do Infinito…; ciência, enfim, que será o estudo dos remidos de Deus através dos séculos infindáveis”. Educação, pág. 126.
“A multidão dos remidos viajará de mundo em mundo, e grande parte de seu tempo será aplicado à pesquisa dos mistérios da redenção. A despeito da extensão infinita da eternidade, esse tema estará continuamente aberto diante de suas mentes”. Review and Herald, 9 de março de 1886.
Jesus nos orientou a amar como Ele amou e não como a nós mesmos.
Exemplos:
“Pai, perdoa-lhes”. Jesus. Lucas 23:34.
“Senhor: Não lhes imputes este pecado”. Estevão. Atos 7:60.
O bom samaritano. Lucas 10:25-37.
No caso de Oseias, amor incondicional e intencional.
Amor sem limites, sem reservas
1. Amar até o fim é amar até o fim das forças.
2. Amar até o fim é amar de um modo que as pessoas não compreendem. É aceitar que um criminoso possa se arrepender, embora o senso comum grite que um criminoso não tem o direito de se arrepender. É colocar-se no último lugar da fila, sem ser visto, enquanto as pessoas em geral briguem por brilho, reconhecimento e aplauso.
Jesus levou seu amor até às últimas consequências.
Amou os seus. Os seus que O amaram. Os seus que não O amaram.
A nós que nem existíamos.
Jesus nos ama até o fim.
Todo o Evangelho é isto. Por isso é chamado de evangelho eterno.
Evangelho é o firmamento celeste para o qual olhamos e está sempre ali. Nossos gestos, nossas heranças, nossas adversidades são nuvens no firmamento. Elas passam, o firmamento fica.
Evangelho é o ar que respiramos; embora invisível, circula dentro e fora de nós. Nossas interpretações podem corromper o Evangelho, mas sempre que lemos a Palavra de Deus com oração e fé, o ar volta a ser puro.
Evangelho é o grito que precisa ser dado para que o mundo acorde para a volta de Jesus.
No amor de Jesus, podemos certeza que nada que façamos ou pensemos fará com que Jesus pare de nos amar.
Mesmo que fracassemos, seu amor por nós não fracassa. Permanece até o fim.
Amar os irmãos é a essência de toda a nossa existência.
O amor deve ser incondicional, através de toda e qualquer crise. Sem acepção de pessoas.
Deve ser um compromisso. Dar a vida como Jesus o fez, João 15:13. Ninguém tem maior amor do que este, dar a vida por seus amigos.
O amor deve fazer o máximo e o melhor. João 17:4. Eu te glorifiquei consumando a obra que me confiaste.
O amor deve ser de sacrifício. Efésios 5:1-2, Jesus se entregou como oferta.
Os mitos da vida. Ícones, ídolos.
Nós gostamos de imitar a homens, mas no caso do amor, somos conclamados a imitar a Deus.
Uma coisa é dar o melhor e outra bem distinta é sacrificar-se, isso vai além do melhor, isso é tudo. O melhor pode ser uma parte de um todo, mas o sacrificial é o todo!
Acima de tudo, amar implica em escolhas. O verdadeiro amor é mais que um sentimento, é um comportamento fundamentado em escolhas que fazemos a favor dos outros.
Apesar de ter sido traído, rejeitado, abandonado pelos Seus, Jesus amou-os até o fim.
O verdadeiro amor não espera recompensa alguma. Jesus nos amou quando éramos ainda pecadores, Romanos 5:8.
Quem ama esperando uma recompensa, não ama, mas barganha. Amor genuíno se doa, não se compra nem se vende.
O verdadeiro amor não depende de condições ideais ou favoráveis, mas sim de quem você é.
Assim, se alguém não lhe der amor, não se decepcione com esta pessoa, ela não tem amor para dar. Só podemos oferecer aos outros aquilo que possuímos.
Jesus amou até o fim, porque nEle residia a essência do amor, que mesmo antes de ser traído perdoou.
O amor verdadeiro é como uma dívida contraída da parte do verdadeiro cristão, foi isso que Paulo disse em Romanos 13:8.
O amor verdadeiro é constante:
Estou estudando a Bíblia com uma pessoa, ela desiste de estudar, eu continuo amando essa pessoa?
Uma pessoa em quem eu confiava, faz algo que me magoa, eu continuo amando nessa pessoa?
Não é fácil continuar amando quem não corresponde às nossas expectativas. Não é fácil continuar amando quem nos decepciona, mas o verdadeiro amor é assim.
“O amor é a origem, a causa e o fim de tudo quanto existe de grande, de belo e de nobre”. Jean-Baptiste Alphonse Karr, escritor francês do século 19.
Para amar até ao fim, como Jesus fez é preciso se desprender de si mesmo. É preciso perder a vida. É alterar o caminho para ajudar o outro e não para evitar o outro. É se importar com quem “não é da sua conta”.
É pedir perdão quando se está ferido. E perdoar quando se está sangrando. É fazer, é ser diferente. A lógica do “toma-lá-dá-cá” não funciona para o amor.
Amar até ao fim, significa amar do início da vida ao fim.

Pastor Stina
Pastor Sênior da Igreja Adventista do Sétimo Dia do UNASP-SP
28/05/16

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário