6-Expiação = Levítico 23:26-32.
Introdução:
Páscoa, o passar do anjo, morte de Cristo.
Pães asmos, saída rápida do Egito, sepultamento de Cristo.
Primícias, primeiros frutos, ressurreição de Cristo.
Pentecostes, festa da colheita, descida do Espírito Santo, Deus aceitou o sacrifício de Jesus.
Trombetas, anúncio do juízo e da volta de Jesus.
Levítico 23:26-32. “Disse mais o Senhor a Moisés: Mas, aos dez deste mês sétimo, será o Dia da Expiação; tereis santa convocação e afligireis a vossa alma; trareis oferta queimada ao Senhor. Nesse mesmo dia, nenhuma obra fareis, porque é o Dia da Expiação, para fazer expiação por vós perante o Senhor, vosso Deus. Porque toda alma que, nesse dia, se não afligir será eliminada do seu povo. Quem, nesse dia, fizer alguma obra, a esse eu destruirei do meio do seu povo. Nenhuma obra fareis; é estatuto perpétuo pelas vossas gerações, em todas as vossas moradas. Sábado de descanso solene vos será; então, afligireis a vossa alma; aos nove do mês, de uma tarde a outra tarde, celebrareis o vosso sábado”.
CENA 6 – Começa com muita fumaça no Templo. Pastor Matheus sai do Templo e profere a benção sacerdotal.
Dia da Expiação. Hora do juízo, ou dia do juízo.
Dia 10 do Sétimo Mês. De Tisri.
Esse dia era considerado um dia de afligir a alma, de pôr-do-sol a pôr-do-sol, o que era tradicionalmente entendido como um dia que se deveria fazer um jejum de 24 horas em virtude da súplica pelo perdão e aceitação de Deus.
“Isso vos será por estatuto perpétuo: no sétimo mês, aos dez dias do mês, afligireis a vossa alma e nenhuma obra fareis, nem o natural, nem o estrangeiro entre vós. Porque, naquele dia, se fará expiação por vós, para vos purificar; e sereis purificados de todos os vossos pecados, perante o Senhor”. Levítico 16:29 e 30.
Durante o ano todo, duas vezes ao dia o Sacerdote oficiava no primeiro compartimento do santuário, o lugar santo. Apenas uma vez ao ano, não o Sacerdote, mas o Sumo Sacerdote, oficiava no segundo compartimento, o lugar santíssimo.
Isto quer dizer que durante todo o ano, os pecados se acumulavam dentro do santuário. E no dia dez do sétimo mês era então o dia da purificação, da expiação.
Yom Kippur – dia do perdão
No Novo Testamento: “Abriu-se, então, o santuário de Deus, que se acha no Céu, e foi vista a arca da Aliança no seu santuário, e sobrevieram relâmpagos, vozes, trovões, terremotos e grande saraivada”. Apocalipse 11:19.
Veja que isto acontece logo após a certidão de nascimento da IASD.
A fala dos três anjos voando pelo meio do céu, anunciando as mensagens decisivas para enfrentarmos o juízo que está em andamento no céu, é real.
O Dia da Expiação no santuário celestial revela Deus intercedendo por nós, para sermos aprovados no juízo. É Deus intercedendo diante de Deus.
É certo também que Deus não julgará sem que antes as três mensagens tenham sido pregadas.
O evangelho do reino tem como essência as três mensagens angélicas que foram atacadas por Satanás, através dos séculos, conforme Daniel 8:11-12.
O objetivo principal dessas mensagens é alertar sobre o início da hora do juízo, Apocalipse 11:18.
O livro do Apocalipse indica ainda que essas mensagens seriam restauradas pelo povo de Deus nos últimos dias, Apocalipse 10:7-10.
Hoje, está acontecendo no Céu o que nós chamamos de Juízo Investigativo, ou pré advento.
O Juízo tem 3 fases: Investigativa, Determinativa e Executiva.
De acordo com Daniel 8:14, no final dos 2.300 anos o santuário seria purificado.
Em 1844 Jesus iniciou o juízo, grande dia da expiação, passando do lugar Santo para o Santíssimo, onde assumiu a função sacerdotal de juiz, Daniel 7:9-10.
O julgamento é feito com base nos livros. E começa pela casa de Deus. 1 Pedro 4:17
a) “Investigação”: Teve início em 1844 e terminará pouco antes da volta de Cristo, Daniel 8:14; 9:24-27. Esse juízo será apenas para os salvos. Deus os vindicará ao mostrar os motivos pelos quais eles receberão a vida eterna. Concluída essa fase, Jesus deixará o santuário e sobrevirão as pragas, Apocalipse 16.
b) “Comprovação”: Ocorrerá durante os mil anos, no céu, quando os salvos comprovarão a justiça de Deus, Apocalipse 20:4 e 1 Coríntios 6:2.
c) “Execução”: Juízo final que ocorrerá após os mil anos, onde Deus executará seu “estranho ato” sobre a Terra. Satanás e os ímpios serão destruídos para sempre; deixarão de existir, Apocalipse 20:7-10.
O julgamento é Baseado na lei de Deus. Tiago 2:10-12 e Eclesiastes 12:13-14 .
Quando Jesus concluir a purificação do santuário celestial, Apocalipse 16:17; 22:11 e Mateus 24:30-31. Acontece o “Fechamento da porta da graça”. Terminará a oportunidade de salvação.
O Espírito Santo se retirará da Terra, permanecendo somente com os fiéis.
O que acontecia com a pessoa que não participasse do dia da expiação? Levítico 23:29
Não participando da expiação a pessoa perdia o direto de participar da última grande festa: a Festa dos Tabernáculos.
Hoje estamos vivendo no tempo do grande dia da expiação, e aguardamos com expectativa a última grande festa que participaremos no céu (Tabernáculos).
O afligir a alma do Dia da Expiação serve como exemplo para aqueles que em nossos dias não estão confessando os pecados e obedecendo a lei de Deus.
Ao Jesus concluir o juízo da expiação, retornará a terra e dará a sentença: “Apartai-vos de mim, não vos conheço”, Mateus 7:23.
Mas, a todos que confiaram sua vida a Jesus, Ele dirá: “Vinde benditos de meu Pai, possuí por herança o reino que vos está preparado desde a fundação do mundo”. Mateus 25:34.

Pastor Stina
Pastor Sênior da IASD do UNASP SP
05/05/16

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário