Já alguns anos a nação brasileira ficou horrorizada com um incêndio de grandes proporções no Edifício Joelma, no centro de São Paulo. Parecia impossível apagar aquele incêndio. As escadas magirus dos bombeiros não alcançavam a todos os andares, e as pessoas, nos inúmeros escritórios e empresas, começaram a se desesperar.
A fumaça rapidamente asfixiava as vítimas, que tentavam respirar junto às janelas e acenar com tremendos gritos por socorro. Quando as chamas avançavam, os flagelados não escutavam as vozes que recomendavam calma, e desatinadamente começaram a saltar de grandes alturas para a morte.
Dramas de desespero e dor aconteciam dentro e fora do Joelma onde parentes e curiosos assistiam a uma das maiores tragédias. Com intensa dificuldade os que estavam nos últimos andares, chegaram ao heliporto onde o resgate ficava cada vez mais difícil pelo calor da laje e pelos ventos que direcionavam afoitamente as chamas para todos os lados. Muitos morreram exatamente no momento em que procuravam o escape.

Milhões hoje estão também à procura do escape para os seus dilemas, os seus problemas, e sua dor. Paradoxalmente nesta época de avanços científicos, e apesar do apoio que a psicologia e a psiquiatria procuram oferecer, aumentam os desajustes, os traumas, a solidão e o desespero. A resistência humana e a capacidade de superar as dificuldades, tudo é posto à prova.

Sem falar no desemprego e na onda de crises financeiras que intranquilizam o mundo todo. As pessoas estão à procura de uma verdade, um caminho que lhes dê sentido à vida e um pouco de paz para sobreviver. Os próprios governos em várias regiões da Terra desejariam acalmar essa avalanche de inquietação social e impedir as explosões de insatisfação e violência, mas se sentem quase incapazes.

Parece que os problemas vão além do simples espaço físico para se instalarem dentro do próprio coração. As multidões estão com a mente e o coração carentes de uma luz maior, uma bússola que possa dar-lhes uma direção. Não sabem para onde estão indo, e que caminho estão seguindo.
Mas estão à procura de uma saída. Desvairados, correm atrás de panacéias como a bebida alcóolica e as drogas. Mascaram suas realidades nos três dias do carnaval, para outra vez se descobrirem insatisfeitos, desiludidos com os seus problemas não resolvidos e até agravados.

Já viram o adesivo colado no vidro dos automóveis que diz: “Não me sigam, que estou perdido?” Isso dá uma idéia da insegurança das pessoas. Como disse o psicólogo Carl Jung: “O ser humano é um enigma para si mesmo”.

Mas o nosso Pai Celestial não deseja que Seus filhos fiquem perdidos por aí, sem um roteiro seguro. Ele quer guardar você das dúvidas que assaltam a sua mente. Ele não quer que você caminhe na escuridão, passando por perigos na noite desse mundo.

Ele deixou um roteiro, um mapa para lhe indicar o caminho e dar sentido à sua vida. O rei e patriarca Davi assim escreveu no lindo e inspirado Salmo 119:105 – “Lâmpada para meus pés, é Tua Palavra e Luz para o meu caminho”.

É essencial, entretanto, que as pessoas estudem com atenção para perceberem o verdadeiro sentido da Bíblia, comparando o texto que estão lendo, com outros textos, para não darem suas próprias interpretações aos Escritos Sagrados, como advertiu o Senhor em Mateus: 22:29 “Errais não conhecendo as Escrituras nem o poder de Deus”.

É fundamental pedir a assistência divina quando vamos abrir a Santa Bíblia. No Salmo 119:18 está escrito: “Abre os meus olhos para que eu veja as maravilhas da Tua lei”. Essa é uma coisa que o Senhor aprecia muito fazer.

Em S. Lucas 24:45 diz: Então lhes abriu o entendimento para compreenderem as Escrituras. “Derramarei o Meu Espirito e vos farei saber as minhas palavras”. Provérbios 1:23.

Mencionamos há pouco a importância de comparar o que o Espírito Santo disse em um texto, com o que Ele declarou em outro texto sobre o mesmo assunto. Dessa forma um verso se torna a chave para desvendar o sentido de outro verso ou conjunto de versos.

Por exemplo: Em Lucas 21 encontramos pessoas perguntando a Jesus sobre o templo de Jerusalém e o fim do mundo. Mat 24 afirma que essas pessoas que perguntaram eram os apóstolos do Senhor.

E através de Marcos 13, no verso 3 descobrimos que os apóstolos que perguntaram foram Pedro, Tiago, João e André.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário