Bom dia a todos. O tema de hoje é: “Deus como Autor.”
A Bíblia, que é a Palavra de Deus, possui uma beleza literária incomum.
Para o cristão, a Bíblia é duplamente importante. Sua beleza e sua inspiração.
Paulo em seus escritos apresenta um ritmo muito interessante, composto de raciocínio teológico complexo, entrelaçado com louvor a Deus, antes de concluir com conselhos práticos.
“Ó profundidade da riqueza, tanto da sabedoria como do conhecimento de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos, e quão inescrutáveis, os seus caminhos. Porque dele, e por meio dele, e para ele são todas as coisas. A ele, pois, a glória eternamente. amém!” Romanos 11:33 e 36.
Já o livro de Apocalipse diferentemente das epístolas e do evangelho, nos conduz à uma profunda exibição de estética, cuidadosamente estruturada em torno de sete cenas do santuário celestial, cada uma se iniciando com um acesso mais profundo para as cortes celestiais.
“Olhei, e eis o Cordeiro em pé sobre o monte de Sião, e com ele os cento e quarenta e quatro mil, tendo na fronte escrito o seu nome e o nome de seu Pai”. Apocalipse 14:1.
O livro do Apocalipse também está preenchido por um mosaico imponente de recursos literários, através dos quais Deus retrata a história da salvação. Trata-se de uma extensa manifestação de estética, com panoramas figurados, retratando o grande conflito entre Cristo e Satanás.
Tenham todos um ótimo dia.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário