Em Cristo Jesus
João 15:1-8. Ler o texto.
Permanecei em Mim. A expressão que mais aparece na ilustração da videira é EM MIM. Permanecei EM MIM… se não permanecerdes EM MIM.
Expressões: Em Deus, Em Jesus, Em Cristo, No Espírito…
Todas elas representam relacionamento. Ligação ininterrupta com Deus. Colado em Jesus. Plena comunhão.
Representam também o plano da salvação e sua execução. Porque a salvação é um DOM DA GRAÇA de Deus. E a Bíblia afirma com clareza que “É Deus quem opera em nós o querer e o efetuar segundo a Sua boa vontade”. Filipenses 2:13.
“Estou plenamente certo de que Aquele que começou a boa obra em vós, há de completá-la até ao dia de Cristo Jesus”. Filipenses 1:6.
Estamos nos dez dias de oração. Oração é nada mais nada menos que comunhão, comunicação, relacionamento, adoração.
“É o abrir do coração a Deus como a um amigo”. Caminho a Cristo, 59.
“É a chave na mão da fé, que abre os celeiros do céu, onde se acham armazenados os ilimitados recursos da Onipotência”. Idem, 95.
Há poucos dias um jovem me disse: Pastor, minha oração não passa do teto.
Então ore fora de casa, onde não há teto.
Mas a oração não precisa passar do teto, porque Deus está do nosso lado.
Transcendente e Imanente. Deus é assim. Distinto da Criação, mas está também dentro de nós.
Na oração sincera Jesus é o centro. Este é o principal momento da adoração.
É possível estar na igreja e não ter Jesus como o centro da vida?
É possível pertencer ao grupo de Jesus e pensar diferente de Jesus?
É Possível andar com Jesus e estar na estrada contrária?
Quem caminha com Jesus cruza com o inimigo de Jesus.
Stephen Brown, no livro Quando a Corda se Rompe, 115 “Se você não cruzou com o inimigo logo pela manhã, pode ser que vocês estejam andando na mesma direção”.
Mas, é possível também estar na mesma estrada com Jesus, sem saber que Jesus caminha conosco, como aconteceu com os dois discípulos que viajavam para Emaús logo após a morte de Jesus. Jesus ia com eles e eles não perceberam, até que Jesus abençoou o pão.
Muitas vezes as tristezas da vida nos afligem de tal maneira que não conseguimos perceber a presença de Jesus.
Devemos demolir os pilares da falsa teologia triunfalista, em que o cristão é sempre vencedor nas suas batalhas, realizador de seus sonhos e imune aos sofrimentos.
“A Bíblia ensina que Deus criou o mundo para que ele, Deus pudesse ser glorificado. Quando entendemos isso, descobrimos a chave do viver”.
Todos os filhos e filhas de Deus devem viver para glorificar a Deus, foi isso que Paulo ensinou quando disse: “Portanto quer comais, quer bebais, ou façais outra coisa qualquer, fazei tudo para a glória de Deus”. 1 Coríntios 10:31.
Glorificar a Deus é fazer a obra que Deus nos ordenou fazer.
“Eu te glorifiquei na terra, consumando a obra que confiaste para fazer”. João 17:4.
Precisamos mais do que disposição pessoal.
Mateus 26:41 “Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; o espírito, na verdade está pronto, mas a carne é fraca”.
A importância da oração na comunhão. Só seremos vencedores no grande conflito, se mantivermos os olhos fixos em Jesus.
Por isso Deus falando pela boca de Isaías disse: “Olhai para mim e sede salvos…”. Isaías 45:22.
Mas, em torno de que gira nossa vida? Quais são as nossas preocupações? O que é que ocupa nossa mente?
Minha vida financeira. Mortgage. Minha casa. Meu casamento. Educação dos meus filhos. Minha profissão. Meus hobbys.
Porque Jesus deve ser o centro e não as coisas que nos preocupam?
Se todas estas coisas estiverem bem, mas se eu não tiver Jesus, não vale nada.
Paulo afirma que “Se a nossa esperança em Cristo se limita a esta vida apenas, somos os mais miseráveis dos seres humanos”. I Coríntios 15:19.
Se tudo estiver bem, mas eu não tiver Jesus, sou o pior dos miseráveis, nada mais.
Por outro lado, se eu tiver Jesus, tudo se encaixará, de acordo com a vontade de Deus.
Qual é o verdadeiro culto? Qual a verdadeira adoração?
Se nos basearmos em Isaías 6, vamos descobrir que quando a adoração é verdadeira acontecem as seguintes coisas:
1. Percepção da presença de Deus.
2. Reconhecimento de que somos pecadores e a consequente confissão.
3. A certeza dos pecados perdoados.
4. Ouvimos a voz de Deus nos desafiando.
5. Respondemos afirmativamente ao chamado de Deus.
Por isso a apóstolo Paulo nos conclama como que implorando: “Rogo-vos pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos como um sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. E não vos conformeis a este mundo, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus”. Romanos 12:1-2.
Só é possível apresentar um culto verdadeiro ao Senhor, se Jesus for o centro.
E para que isso aconteça temos que adorar em Espírito e em verdade, como Jesus falou à samaritana, em João 4.
Onde está o problema?
Vivemos na carne e não no Espírito.
É necessário viver no Espírito. A Bíblia diz que devemos viver e andar no Espírito. “Se vivemos pelo Espírito, andemos de igual modo sob a direção do Espírito”. Gálatas 5:25. KJV.
Há uma grande diferença entre viver na carne e viver no Espírito.
Viver na Carne: Estado natural dos seres humanos.
Viver no Espírito: Estado espiritual dos convertidos.
Andar na Carne: Modo de vida de todos os seres humanos decaídos que vivem segundo a sua própria vontade.
Andar no Espírito: modo de vida dos convertidos que vivem pela fé em Cristo e obedecem Sua Palavra.
Viver na carne: É ser rebelde e autônomo em relação a Deus.
Viver no Espírito: É ser obediente e dependente de Deus.
Viver na carne: Negação da relação de dependência com Deus – Eu vivo minha vida do jeito que eu quiser.
Viver no Espírito: Aceitação da vida em Deus – Cristo vive em mim, Ele é minha vida.
Viver na carne: É viver de acordo com os impulsos egoístas.
Viver no Espírito: É viver de acordo com a vontade de Deus.
Viver na carne: Buscar satisfazer os desejos e impulsos do coração.
Viver no Espírito: Buscar satisfazer as necessidades e desejos espirituais segundo a vontade de Deus.
Viver na carne: Viver para si, pensando só no presente.
Viver no Espírito: Viver para Deus, pensando na eternidade.
Viver na carne: É ser escravo dos impulsos imediatos, motivados pelo mundo e pelo maligno.
Viver no Espírito: É ser submisso a Deus, orientado pela Palavra e pelo Espírito Santo.
Viver na carne: É a vida que produz fragmentos, dilemas, contendas e finalmente a morte.
Viver no Espírito: É a vida que produz integridade, cura completa, restauração total e finalmente a vida eterna.
Cristão = imitador de Cristo. A primeira vez que os discípulos foram chamados de cristãos foi em Antioquia, Atos 11:26. Pequenos cristos, imitação de Cristo.
Já perceberam que quase todo o nosso cristianismo é centralizado em nós mesmos.
Enfatiza o meu perdão, minhas orações respondidas, minhas bênçãos, minha fidelidade, os meus dons espirituais e meu serviço cristão.
O centro do cristianismo é Jesus, não sou eu, não é você.
Quando eu leio um livro de autoajuda, por exemplo, fico com vontade gritar: o que nós precisamos é da ajuda que vem do alto e não de autoajuda.
Porque os livros de autoajuda focalizam o homem como centro das soluções, mas as verdadeiras soluções vêm do alto, vem de Deus.
A verdadeira teologia está na Bíblia e não nos livros de autoajuda.
É possível estar na igreja, ser parte de seus membros, fazer parte da liderança da igreja, estar no time de Jesus, e ainda não ser verdadeiramente convertido? Não estar em Cristo?
Não tenho a intenção de criticar ou aborrecer alguma pessoa, apenas me posicionar com relação ao que eu considero verdadeira conversão.
Mateus 16:13-16. A divindade de Cristo Jesus.
Jesus estava com seus discípulos em Cesareia de Filipe. Jesus perguntou aos 12 discípulos: “Quem dizem os homens ser o Filho do homem?” (Mateus 16:13). Ele tem todos os tipos de respostas. Alguns discípulos disseram que Ele era João Batista, Elias, Jeremias ou um dos profetas. Apenas Pedro deu a resposta certa, “Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo” (Mateus 16:16). Essa foi uma resposta maravilhosa. Quando Pedro chamou Jesus de “o Cristo,” ele estava chamando Jesus, “o Messias.” Todo o Israel estava esperando o Messias, isto é, o Libertador que iria derrotar os romanos. Pedro não era diferente dos homens comuns de seus dias. Ele estava à procura de um governante terreno, então ele respondeu Jesus: “Tu és o Cristo, isto é, o Messias. . . o Filho do Deus vivo. ” Jesus elogiou Pedro, “Bem-aventurado és tu, Simão Barjonas: a carne e o sangue não revelou a ti, mas o meu Pai que está nos céus” (Mateus 16:16). Jesus disse que a declaração de Pedro foi uma resposta maravilhosa, mas que Pedro recebeu a resposta do Pai Celestial.
Aparentemente Pedro estava alinhado com Jesus, mas não estava.
Às vezes eu me pergunto se a minha igreja está pensando na letra do hino enquanto nós cantamos, ou se estamos pensando em outra coisa.
No que você pensa enquanto canta os hinos, enquanto ouve a oração ou o sermão?
Num momento Pedro estava pensando como Jesus. Mas no minuto seguinte Jesus estava pensando da cruz. E Pedro estava pensando do Reino e suas glórias. Jesus sabia que a cruz esperava por Ele, onde Ele iria morrer pelos pecados do mundo. A cruz foi o próximo grande tema na agenda de Jesus e Ele sabia que não podia contornar o cruzamento. A maior prova de que Pedro tinha as expectativas erradas, foi quando ele repreendeu Jesus dizendo: “Longe de ti, Senhor.”(Mateus 16:22). Pedro não queria nada com a cruz porque era algo medonho. Era algo vergonhoso. Era humilhação. Era o final. Pedro não tinha espaço em sua vida para a cruz. Mas Jesus tinha outros pensamentos, Jesus disse a Pedro: “Para trás de mim, Satanás; tu és para mim uma pedra de tropeço, porque tu não compreendes as coisas que são de Deus, mas as que são dos homens” (Mateus 16:23) . Jesus chamou Pedro de “Satanás”, porque Pedro queria que Jesus pulasse o capítulo da cruz e fosse direto para as glórias do Reino. Pedro estava sugerindo a mesma coisa que Satanás sugeriu na tentação.
Amados não podemos pular o capítulo da cruz. Algumas pessoas querem contornar a humilhação e agonia da morte de Jesus, apenas para desfrutar as coisas boas da vida cristã.
É preciso lembrar que antes da coroa vem a cruz. Antes da glória vem o calvário. Antes do céu de alegria e paz, vem este mundo cheio de mazelas e sofrimentos.
Pedro achava que era um homem convertido. Achava que estava pronto para morrer por Jesus.
Apocalipse 2:10. “Sê fiel até à morte e dar-te-ei a coroa da vida”.
Devemos estar prontos para morrer por Jesus, mas eu penso que Deus deseja que vivamos por Jesus.
Pedro não se conhecia. Não sabia o que estava dizendo.
Pedro negou a Jesus. EU NÃO CONHEÇO ESTE HOMEM.
Mais de 3 anos andando com Jesus, mas não O conhecia.
É possível passar tempo com Jesus e ainda assim não O conhecer? Sim, é!
Porque até então Pedro estava preocupado consigo mesmo. Mas não é sobre mim, é sobre Jesus.
Sempre que olhamos para o Reino e não para o Rei do Reino, nos distanciamos de Jesus.
“Um de nossos grandes problemas como crentes é pensar que nada de ruim nos acontecerá quando começamos a seguir a Cristo”.
Certamente Pedro se converteu depois da morte de Jesus.
O que acontece com muitos de nós. Em algum momento da caminhada descobrimos o que significa verdadeiramente fazer de Jesus o centro da nossa vida.
Felizmente o capítulo 21 de João relata a conversão de Pedro.
É provável que muitos de nós já negamos o Senhor Jesus de várias maneiras.
Você já foi como Pedro alguma vez?
Já viveu a experiência de Pedro, de negar a Jesus?
Já teve oportunidade de mostrar seu amor por Jesus e não o fez? No trabalho? Na escolha? Na comunidade? Em casa? Na Igreja?
Lembre-se, a vida cristã é “É tudo sobre Jesus, não é sobre você.” Não é sobre como você se sente.
A vida cristã é sobre Jesus Cristo. A cruz é a respeito de Jesus, Ele viveu por você, Ele morreu por você. Ele ressurgiu por você. Ele vive por você. E virá por você. Jesus pode renovar você completamente.
Lembre-se, que Pedro, negou o Senhor na escuridão da noite, mas falou poderosamente por Deus no dia de Pentecostes. Ele era o poderoso pregador, quando três mil pessoas se converteram. Naquele dia, “Era tudo sobre Jesus; não se tratava de Pedro.”
Mesmo que você tenha uma asa quebrada você pode voar novamente, no Senhor Jesus.
Ainda que tudo parecer perdido, Jesus sempre providencia um novo começo.
Sim, você que se afastou de Deus pode voltar.
Sim, você que negou o Senhor pode ser usado por Ele novamente.
Esta é a mensagem de hoje.
“É sobre Jesus; não é sobre você.”
Basta realmente permanecer em Jesus.
Vou dizer uma coisa pra vocês:
O plano do inimigo não é fazer de você um adúltero, mentiroso, assassino, drogado, perdido. Não.
Ele deseja apenas afastar você de Jesus, nada mais. Aquilo que Jesus disse: sem mim nada podeis fazer, o inimigo conhece muito bem. Ele sabe que se não estivermos em Jesus, o nosso melhor é como um trapo imundo. Isaías 64:6.
Desejo terminar minhas considerações hoje com alguns pensamentos extraídos de Romanos 8.
Para mim, Romanos 8 é um capítulo muito especial. Te teologia profunda, mas ao mesmo tempo muito simples. Porque Deus é profundo, mas ao mesmo tempo simples. As coisas de Deus são profundas, mas ao mesmo tempo simples.
Romanos 8:1. Agora, pois, já, nenhuma condenação há para os que estão EM CRISTO JESUS.
Romanos 8:5-6. O pendor da carne e o pendor do Espírito.
Romanos 8:11. O Espírito vivifica.
Romanos 8:16. O Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus.
Romanos 8:18. Os sofrimentos de hoje não podem ser comparados com a glória a ser revelada em nós.
Romanos 8:28. Todas as coisas cooperam para o bem. Dos que amam a Deus e vivem segundo o Seu propósito.
Romanos 8:29. Fomos predestinados para sermos conforme a imagem de Jesus.
Romanos 8:31. Se Deus é por nós, quem?
Romanos 8:33. Quem nos acusará?
Romanos 8:34. Quem nos condenará?
Romanos 8:35. Quem nos separará?
Romanos 8:37. Somos mais que vencedores.
Romanos 8:38-39. Nada poderá nos separar do amor de Deus EM CRISTO JESUS, nosso Senhor.
Se eu tivesse que pregar o sermão numa única frase eu diria: “O segredo da vida e da salvação é permanecer em Cristo”.
Apelo: Juninho…
Quando eu sofre Ele sofre comigo
Quando eu caio Ele me levante
Quando eu perco alguém quebra Seu coração
Mas o que mais o comove é quando eu choro

Pastor Stina
Pinehouse Drive SDAC
Saskatoon – SK – Canadá
09/01/2016

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário