Filhos do Coração
Adoção:
Adotar requer grande disposição mental e emocional. Além de uma disponibilidade autêntica, é imprescindível a decisão de amar de forma incondicional, pois é desse tipo de amor que um filho necessita.
Possibilidades de adoção:
Casal não consegue ter filhos.
Família encontra um bebê junto à porta da residência.
Mulher casa com homem viúvo ou divorciado e pai.
Homem casa com mulher viúva ou divorciada e mãe.
Há outras possibilidades também.
Adotar é tomar ou aceitar como filho ou filha, alguém que não é tal, por parentesco natural. A palavra grega traduzida por adoção, é “huiothesía”. Termo jurídico que literalmente significa colocar como filho, Romanos 8:15.
A princesa egípcia e Moisés, Noemi e Rute, Eli e Samuel, Davi e Mefibosete, são alguns exemplos de pais e filhos adotivos encontrados na Bíblia. Além destes, poderia mencionar o caso de uma linda menina chamada Ester, que foi adotada pelo seu primo Mardoqueu, depois da morte de seus pais, e tornou-se uma rainha e Deus a usou para trazer libertação ao povo judeu.
Parece que Abraão, antes do nascimento de Ismael e de Isaque, considerava seu escravo, Eliézer, pelo menos candidato a uma posição similar à de um filho adotivo, e como o provável herdeiro da casa de Abraão, Gênesis 15:1-4.
O que fazer? Ou não fazer?
Avaliar antes se poderá cumprir o papel de pai ou de mãe.
Não fazer diferença entre o natural e o adotivo, caso tenha.
Quando contar?
Na hora certa.
Não enganar.
Responder só o que é perguntado e quando for perguntado.
Veja alguns exemplos de tratamento:
O trato de Abraão com Ismael e Isaque.
Sara expulsou Hagar com o filho, por brigas entre Ismael e Isaque.
Jacó com José e os demais filhos.
Diferença entre Jó e Davi.
2 Samuel 18:33. Davi chorou amargamente por Absalão.
Jó 1:5, 20-21. Adorou e bendisse o nome do Senhor.
Um sacrificava para os filhos, quando morreram, louvou a Deus.
Outro não cuidava do filho, quando morreu, chorou.
E quanto a nós?
Por natureza somos filhos da ira. Efésios 2:1-7. “Ele vos deu vida, estando vós mortos nos vossos delitos e pecados, nos quais andastes outrora, segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe da potestade do ar, do espírito que agora atua nos filhos da desobediência; entre os quais também todos nós andamos outrora, segundo as inclinações da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos, por natureza, filhos da ira, como também os demais. Mas Deus, sendo rico em misericórdia, por causa do grande amor com que nos amou, e estando nós mortos em nossos delitos, nos deu vida juntamente com Cristo, – pela graça sois salvos, e, juntamente com ele, nos ressuscitou, e nos fez assentar nos lugares celestiais em Cristo Jesus; para mostrar, nos séculos vindouros, a suprema riqueza da sua graça, em bondade para conosco, em Cristo Jesus”.
Quando entregamos nosso coração a Cristo, acreditando e confiando nEle para nossa salvação, Deus diz que nos tornamos parte de Sua família – não através do processo natural de concepção humana, mas através de adoção. Incluir uma pessoa à família através de adoção é feito por escolha própria e por amor. Efésios 1:5, “Deus nos escolheu, para a adoção de filhos, por meio de Jesus Cristo, segundo o beneplácito de sua vontade”.
Em Jesus nos tornamos filhos adotivos. João 1:11-13, “Veio para o que era seu, e os seus não o receberam. Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber, aos que creem no seu nome; os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus”.
Romanos 8:14-17, “Pois todos os que são guiados pelo Espírito de Deus são filhos de Deus. Porque não recebestes o espírito de escravidão, para viverdes, outra vez, atemorizados, mas recebestes o espírito de adoção, baseados no qual clamamos: Aba, Pai. O próprio Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus. Ora, se somos filhos, somos também herdeiros, herdeiros de Deus e co-herdeiros com Cristo; se com ele sofremos, também com ele seremos glorificados”.
D. T. N. 25, “Pela Sua vida e morte, Cristo operou ainda mais do que a restauração da ruína produzida pelo pecado. Era o intuito de Satanás causar entre o homem e Deus uma eterna separação; em Cristo, porém, chegamos a ficar em mais íntima união com Ele do que se nunca houvéssemos pecado. Ao tomar a nossa natureza, o Salvador ligou-Se à humanidade por um laço que jamais se partirá. Ele nos estará ligado por toda a eternidade”.
Na conclusão quero abordar algo que talvez você não tenha pensado ainda.
É sobre Jesus.
José, o esposo de Maria, a mãe de Jesus, adotou Jesus como seu filho.
Mateus 1:18-25, “Ora, o nascimento de Jesus Cristo foi assim: estando Maria, sua mãe, desposada com José, sem que tivessem antes coabitado, achou-se grávida pelo Espírito Santo. Mas José, seu esposo, sendo justo e não a querendo infamar, resolveu deixá-la secretamente. Enquanto ponderava nestas coisas, eis que lhe apareceu, em sonho, um anjo do Senhor, dizendo: José, filho de Davi, não temas receber Maria, tua mulher, porque o que nela foi gerado é do Espírito Santo. Ela dará à luz um filho e lhe porás o nome de Jesus, porque ele salvará o seu povo dos pecados deles. Ora, tudo isto aconteceu para que se cumprisse o que fora dito pelo Senhor por intermédio do profeta: Eis que a virgem conceberá e dará à luz um filho, e ele será chamado pelo nome de Emanuel (que quer dizer: Deus conosco). Despertado José do sono, fez como lhe ordenara o anjo do Senhor e recebeu sua mulher. Contudo, não a conheceu, enquanto ela não deu à luz um filho, a quem pôs o nome de Jesus”.
José era um pai adotivo. Para José, Jesus era um filho do coração. Jesus foi gerado pelo Espírito Santo.
Os filhos adotivos se tornam primogênitos. Da maneira literal que geralmente usamos a palavra primogênito, cada família teria um só. Normalmente pensamos sobre o primeiro a nascer. Na Bíblia, porém, essa palavra é usada várias vezes para descrever a exaltação a uma posição de honra sobre outros. Israel não foi a primeira nação a existir, mas foi exaltada por Deus acima das outras e, por isso, chamado de primogênito de Deus, Êxodo 4:22.
As pessoas que pertencem a Jesus são descritas como a “igreja dos primogênitos arrolados nos céus”, Hebreus 12:23.
Primogênitos antigamente recebiam uma herança especial dos pais, e os cristãos também receberão uma herança especial, a vida eterna, conforme 1 Pedro 1:4.
Mas devemos lembrar mais um fato sobre os primogênitos do Antigo Testamento: foram especialmente dedicados ao Senhor, passando a ser propriedade exclusiva de Deus, Êxodo 13:2. Os seguidores de Cristo são consagrados para pertencer exclusivamente ao Senhor, 1 Pedro 2:9.
Louvado seja Deus que em Cristo nos adotou como filhos.

Pastor Stina
Pastor Sênior da Igreja do UNASP-SP
29/10/2016

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário