No princípio Deus…
Gênesis 1:1-3. “No princípio Deus criou o céu a terra. A terra, porém, estava sem forma e vazia; e havia trevas sobre a face do abismo, e o Espírito de Deus pairava sobre as águas. Disse Deus: haja luz; e houve luz”.
Teses:
1) A mente humana não é capaz de compreender o infinito.
“Porque, assim como os céus são mais altos do que a terra, assim são os Meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os Meus pensamentos mais altos do que os vossos pensamentos”. Isaías 55:9.
2) O plano de Deus não é dar informações sobre a origem da matéria e da vida, mas sim mostrar que Ele é o Criador de todas as coisas. Por isso João ao introduzir o Senhor Jesus diz: “No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus. Todas as coisas foram feitas por intermédio dele, e sem ele, nada do que foi feito se fez”. João 1:1-3.
Paulo, na introdução de sua carta aos Hebreus afirma: “Havendo Deus, outrora, falado muitas vezes e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, nestes últimos dias, nos falou pelo Filho, a quem constituiu herdeiro de todas as coisas, pelo qual também fez o Universo. Ele, que é o resplendor da glória e a expressão exata do Seu ser…”. Hebreus 1:1-3.
3) Tudo que é humano tem um princípio. Somente Aquele que se assenta sobre o trono, o soberano Senhor do tempo, não tem princípio nem fim.
O primeiro verso da Bíblia é chocante porque ele estabelece um terrível contraste entre o que é humano, finito e temporal, com o que é divino, infinito e eterno.
Assim sendo, por um único verso, mentes finitas como a minha e a sua, são impactadas com a afirmação de que Deus existe antes de tudo e ao mesmo tempo é Ele a causa de tudo.
Dr. Harold Coffin. “Os primeiros versos da Bíblia, dão abertura para se discutir sobre a presença ou não de matéria no princípio da semana da criação, mas devemos nos perguntar: qual a intenção do Autor? A intenção do Autor é demonstrar: a) A Onipotência de Deus como Criador, b) Sua capacidade criativa, com ou sem matéria preexistente, c) A literalidade da semana da criação e d) O memorial criativo do sábado”.
Há uma discussão nos seios criacionistas se a substância básica ou a matéria inorgânica já existia ou não no primeiro dia da criação. Para o cristão, só existe uma posição segura, aceitar a Palavra de Deus naquilo que ela diz e permitir que a Bíblia seja sua própria intérprete.
“As coisas encobertas pertencem ao Senhor, nosso Deus, porém as reveladas nos pertencem, a nós e a nossos filhos, para sempre”. Deuteronômio 29:29.
“Porque nEle foram criadas todas as coisas nos céus e na terra, as visíveis e as invisíveis, sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades; tudo foi criado por Ele e para Ele. Ele é antes de todas as coisas, e nEle subsistem todas as coisas.” Colossenses 1:16-17.
Vou explicar pra você porque eu creio na semana da criação como sendo uma semana literal.
1. Nas Escrituras, a palavra hebraica yom, traduzida por “dia”, quase sempre significa um período literal de 24 horas, especialmente quando precedida por um numeral. Obviamente, no relato da criação existe sempre um numeral precedendo aquela palavra – primeiro, segundo, terceiro, etc., e essa regra para a tradução de yom como um dia literal aplica-se neste caso. Com base na correta exegese bíblica podemos portanto interpretar os dias da criação como dias literais.
2. A historicidade do Gênesis pode ser comprovada por diversos dos escritores da Bíblia. Os escritores dos demais livros da Bíblia, após Moisés, certamente encaravam a primeira parte de Gênesis como divinamente inspirada e autorizada, e compreendiam ser literal a semana da criação. Davi refere-se repetidamente a Deus como Criador, e indica a natureza instantânea de Sua obra criadora (Salmo 33:6-9). O Salmo 104 segue a ordem dos dias da criação. No Novo Testamento todos os evangelistas incluem referências à criação, ao dilúvio, e à história dos primórdios da terra. As próprias palavras de Jesus indicam a Sua aceitação da historicidade de Gênesis (Mateus 11:23-24; 19:4; 24:37-39; Marcos 10:6; 13:19; Lucas 11:51; 17:26-27).
3. O ciclo semanal que existe até hoje, vem da semana da criação. E foi o que o povo de Israel entendeu quando colhia o maná por seis dias semanais consecutivos, (menos aos sábados), durante muitos anos.
4. Foi Deus, na majestade de Sua glória, quem afirmou sobre a semana da criação, do alto do Monte Sinai, sendo ouvido por milhares de pessoas, e tendo registrado Sua declaração em tábuas de pedra e também nas Escrituras Sagradas. “Porque em seis dias fez o Senhor os céus e a terra, o mar e tudo o que neles há”. (Êxodo 20:11).
Dr. Gerhard F. Hasel. “As evidências cumulativas baseadas em considerações comparativas, literárias, linguísticas e outras, convergem em todos os níveis, levando à conclusão única de que a designação yom, “dia”, em Gênesis 1 significa consistentemente um dia literal de 24 horas”.
Os dias da criação:
O relato é simples e abrangente. Sem detalhes dos milagres realizados.
Primeiro dia. Gênesis 1:1-5 = luz. Separou a luz das trevas. O salmista declara: “Pois Ele falou, e tudo se fez; Ele ordenou, e tudo passou a existir”. Salmo 33:6-9.
Segundo dia. Gênesis 1:6-8 = firmamento ou Céus. Separou as águas debaixo e acima do firmamento. Eu diria que Deus organizou a atmosfera.
Terceiro dia. Gênesis 1:9-13 = separou a terra seca dos mares e também a produção de relva, ervas e árvores frutíferas sobre a terra. Plantas de todos os tamanhos e idades.
Quarto dia. Gênesis 1:14-19 = o sol, a lua e as estrelas. “Levantai ao alto os olhos e vede. Quem criou estas coisas? Aquele que faz sair o Seu exército de estrelas, todas bem contadas, as quais Ele chama pelo nome; por ser Ele grande em força e forte em poder, nem uma só vem a faltar”. Isaías 40:26.
Quinto dia. Gênesis 1:20-23 = peixes, animais marinhos e aves. Tudo nas águas e no ar. Segundo as suas espécies. Criatividade e diversidade.
Sexto dia. Gênesis 1:24-31 = animais domésticos répteis e animais selváticos. E por fim o homem e a mulher. São dois momentos distintos. Seria como se pela manhã Deus tivesse criado os animais domésticos, répteis e selváticos e à tarde o homem e a mulher.
Na criação do homem, Deus trouxe à existência um ser dotado dos atributos divinos de raciocínio, julgamento e consciência, para o distinguir dos animais.
Sétimo dia. Gênesis 2:1-4 = o sábado, chave de ouro. “Então Deus abençoou, santificou e descansou”. Deus não estava cansado pois Deus não se cansa, Isaías 40:28 diz “que Deus não se cansa nem se fatiga”. “O sábado foi feito por causa do homem”. Marcos 2:27.
Não há conflitos entre Gênesis 1 e Gênesis 2. O primeiro se preocupa com a cronologia da criação e o segundo é uma ampliação do relato da criação dos seres humanos e do seu lar.
Porque existe uma explicação clara sobre a criação do homem e da mulher?
O grande trunfo da criação é o ser humano.
Conclusão:
Que mensagem Deus tem para você e para mim através da criação?
1) Quem aceita a criação tem facilidade para aceitar a recriação.
2) Quem não aceita a criação ex-nihilo (do nada) tem dificuldade para aceitar e ressurreição, porque como Deus vai ressuscitar alguém que morreu há 5 mil anos, como é o caso dos primeiros habitantes do Planeta?
3) Mas nós aceitamos pela fé. “Pela fé entendemos que o Universo foi formado pela Palavra de Deus, de maneira que o visível veio a existir das coisas que não aparecem”. Hebreus 11:3.
4) Deus assinou em nós ao concluir a criação. “É muito bom”. Seis vezes o Senhor pronunciara a expressão: é bom. Mas quando fez o homem, à imagem de Deus, homem é mulher, Deus disse: é muito bom.
5) Deus fará tudo de novo. Apocalipse 21:5, “Eis que faço novas todas as coisas. E acrescentou: Escreve, porque estas palavras são fiéis e verdadeiras”.
6) Quem não crê na criação, não fará parte da recriação.
7) Apocalipse 21:1-5, “E vi um novo céu e uma nova terra. Porque já se foram o primeiro céu e a primeira terra, e o mar já não existe. E vi a santa cidade, a nova Jerusalém, que descia do céu da parte de Deus, adereçada como uma noiva ataviada para o seu noivo. E ouvi uma grande voz, vinda do trono, que dizia: Eis que o tabernáculo de Deus está com os homens, pois com eles habitará, e eles serão o seu povo, e Deus mesmo estará com eles. Ele enxugará de seus olhos toda lágrima; e não haverá mais morte, nem haverá mais pranto, nem lamento, nem dor; porque já as primeiras coisas são passadas. E o que estava assentado sobre o trono disse: Eis que faço novas todas as coisas. E acrescentou: Escreve; porque estas palavras são fiéis e verdadeiras”.
8) Pela graça de Deus nós estaremos lá.
9) João 5:39, “Examinais as Escrituras, porque julgais ter nelas a vida eterna, e são elas mesmas que testificam de Mim”.

Pastor Stina
IASD UNASP-SP
07/03/2015

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário