Eu aprendi a não ter medo do juízo, lendo 1 João 2:1, “Filhinhos, estas coisas vos escrevi para que não pequeis, todavia, se alguém pecar, temos um Advogado junto ao Pai, Jesus Cristo, o Justo”.
Eu cresci numa congregação onde o juízo era pregado regularmente e com veemência. Todos nós, adolescentes e jovens ficávamos amedrontados. Mas um dia eu descobri que o juízo é para me declarar justo e não para me condenar, o medo deu lugar à paz, à alegria da salvação.
Satanás é o causador dos irmãos (Apocalipse 12:10), mas, Deus está do nosso lado para nos defender do acusador. Além disso, Jesus, o nosso Advogado nos ajuda ao interceder por nós.
É importante saber que há um santuário no Céu, onde se processa o juízo.
Cristo é nosso Sumo Sacerdote iniciou o Seu ministério de intercessão quando da Sua ascensão. Ao final das 2300 tardes e manhãs, em 1844, Jesus deu início à segunda fase de Seu ministério expiatório. Essa fase mostra ao Universo quem dentre os mortos está apto a participar da primeira ressurreição e também quem dentre o vivos permaneceu firme e leal a Jesus e portanto está pronto para a transladação.
Davi foi muito feliz ao declarar: “No dia da adversidade, Ele me ocultará no Seu pavilhão”. Salmo 27:5.
É verdade que o juízo, ou julgamento provoca temor e terror, mas só naqueles que não aceitaram Jesus como seu Salvador pessoal.
Pois quem vive escondido nos braços de Deus não precisa temer o juízo que se processa no santuário.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário