Bom dia a todos. O tema de hoje é: “Paulo, o Pregador de Rua.”
No contexto greco-romano do primeiro século ocorreu uma proliferação de filósofos populares que, nas praças públicas, procuravam influenciar indivíduos e grupos, de modo semelhante ao que os pregadores de rua fazem hoje.
Paulo pregava na rua, mas pregava também na sinagoga, porque queria formar uma comunidade duradoura.
“Por isso, discutia na sinagoga com judeus e com gregos tementes a Deus, bem como na praça principal, todos os dias, com aqueles que por ali se encontravam.” Atos 17:17.
Muitos dos filósofos tiravam vantagem de seus seguidores, mas Paulo recusava ajuda de seus ouvintes, por isso trabalhava fazendo tendas para o seu sustento.
O trabalho desenvolvido por Paulo foi tão significativo que toda a Ásia ouviu do Evangelho. “Isso continuou por dois anos, de forma que todos os judeus e os gregos que viviam na província da Ásia ouviram a palavra do Senhor.” Atos 19:10.
Havia mais uma diferença entre o ensino dos filósofos e o ensino de Paulo. Paulo ensinava que a mudança não ocorre pelo discurso sábio, mas de dentro para fora em razão da operação do Espírito Santo, porque a transformação verdadeira é obra sobrenatural de Deus em nós.
Tenham todos um ótimo dia.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário